top of page
Buscar
  • Cissa

Você mantém a conexão com o que deseja?

Muito do que eu recolhi de vocabulário musical foi por "osmose". Nunca parei pra pensar porque eu gostava de determinada música ou porque estava ouvindo aquela banda e muitas vezes eu estava ouvindo aquilo que simplesmente estava presente no meu ambiente ou nas rádios. Ouvia muita música regional, e músicas que eu precisava tirar para os shows nas bandas de baile que geralmente eram as músicas radiofônicas do momento. Até hoje tenho dúvidas se essas eram as músicas que eu realmente gostava ou se na verdade elas eram somente coisas que estavam por ali e que eu precisava ouvir, eram influências.


Influências são aquelas coisas que estão no nosso dia-a-dia, que nos moldam sem querer, que navegam nossos interesses e nossas "escolhas" sem nos dar muito tempo pra pensar no porquê. E falando em música, as influências são tudo aquilo que de alguma forma faz parte da nossa vida de ouvintes passivos. É a música que rolava no som de casa na nossa infância ou aquele CD que todo mundo achava bacana na adolescência, mas que nunca paramos pra pensar se realmente a gente gostava.


Nossas influências estão aí, fazem parte da nossa história e da nossa formação, no entanto elas podem não refletir quem realmente somos ou o que realmente gostamos.


Parece complexo pensar assim, mas vamos lá!


Muito se fala na influência que a mídia pode exercer no mercado fonográfico. A realidade é que, toda música que é amplamente divulgada, seja através da mídia ou através do nosso universo de amizades e relacionamentos, se estabelece na nossa memória auditiva de uma maneira forte e presente. Sendo assim, nossas maiores influências podem estar na nossa comunidade ou núcleo familiar. Eu por exemplo, cresci ouvindo música regional gaúcha e músicas instrumentais que eram as preferidas do meu pai, além do sertanejo e das canções que eram moda nos anos 80/90.


Nossas influências nem sempre refletem o que realmente queremos para nossa nossa música e nos vemos em um mundo que não parece ser nosso. Para quem canta, é um trabalho bastante árduo quando querermos modificar uma estética que grudou na nossa memória auditiva e muscular pelas influências passadas. Nessas horas, precisamos buscar nossas referências e trazê-las pra perto.


O que são nossas referências?

Referência é tudo aquilo que da norte para nossa criação e para o que desejamos realizar musicalmente. Diferente das influências, referências são escolhas pensadas, é um trabalho de autoconhecimento que vai ajudar muito na construção da personalidade musical que queremos. É fato que, muitas vezes, nossas influências e nossas referências estarão no mesmo barco e quando isso acontece é maravilhoso e temos nossa estética atual alinhada com nossos objetivos. Mas o oposto também pode acontecer, estarmos tão ligados as nossas influências que fica difícil executar o som que queremos, aquilo que realmente nos representa.


Para quem toca ou aprende a tocar um instrumento, essas questões são fáceis de se resolver. Eu estudo aquilo que quero tocar naquele momento. No estudo do canto brigamos com anos de uma didática que nos dizia para cantarmos com "nossa voz mais natural" e isso meio que nos prendia as nossas influências muito mais do que se pode imaginar porque no fim das contas, longe de ser natural, a voz é na verdade uma construção cultural. Nossos hábitos vocais familiares, nossa vida social, nossas músicas, enfim, somos aquilo que nos cerca de certa forma.


Vamos a um exemplo: um cantor da fronteira do RS terá um jeito muito próprio de se expressar cantando ou falando, com uma voz intensa e fortemente carregada de sotaques e harmônicos mais encorpados. Sua voz mais natural carregará uma forte influência cultural, familiar e social. No entanto, essa mesma pessoa decide que gostaria de cantar bossa nova. Como sabemos, a estética predominante da bossa nova traz uma voz mais suave e cheia de nuances (se formos usar exemplos mais clássicos como João Gilberto). Analisando nossa personagem pelo viés da voz natural, ele nunca poderá realizar seu sonho de ser um cantor de bossa nova. Porém, a voz é uma construção, sendo assim pode ser desconstruída e reconstruída com um trabalho focado na técnica e na busca da estética musical desejada.


Parte desse processo passa por entender as referências e fazer delas suas novas influências. O que isso quer dizer? Escute aquilo que você deseja cantar, simples assim.

Eu sempre falo das audições atentas e gosto muito de diferenciar o que é audição atenta do que é audição "pano de fundo". Você não precisa abandonar outras músicas que gosta de ouvir, mas focar nas referências é um passo fundamental para ampliar seu poder técnico de transformação do seu som para aquilo que realmente deseja cantar esteticamente.


Então a dica que fica é: ouça aquilo que você quer usar como referência até que ela vire uma influência.


Talvez você não entenda as palavras "influência" e "referência" dessa maneira, tudo bem. Eu estou aqui falando sobre a maneira que eu vejo e organizo as várias escolhas musicais que já fiz na vida e algumas das dificuldades que já me deparei nos meus atendimentos de canto. Entender que sua voz é moldável, que é uma construção, é o primeiro passo para realizar sonhos e mudanças musicais, espero que essas reflexões tenham te ajudado a se conectar com as suas escolhas criativas mais legítimas.


Bons estudos....

...e até o próximo eclipse!


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Registros Vocais

...e como a laringe funciona. Eu acredito que, por mais iniciante que você seja nessa coisa de cantar, você já tenha ouvido alguma vez sobre registros vocais. Talvez esse seja o motivo que fez você pr

Extensão Vocal

Neste post vou contar um pouco sobre como melhorei minha extensão vocal. Extensão vocal é um dos maiores desafios de quem está começando a cantar ou estudar canto com mais dedicação. Isso porque nos a

Comentarios


bottom of page