top of page
  • Cissa

Escritos de quarentena #1

Estranhos dias, lentos dias

o sol brilhando lá fora

sem chuva,

sem frio ou calor demais

algumas pessoas perdidas

ainda se movem, ainda fingem

- o invisível não chegou aqui,

o invisível não existe -

Da minha janela eu lamento

lamento não, eu grito por dentro,

grito aos corações blindados

tento chegar com poesia

aonde me permito chegar

na preservação da minha própria sanidade

Sinto tanto que as vezes dói

e eu mesma também finjo,

no calor da minha casa, eu finjo,

mas a alma grita aquilo

que a mente não quer pensar

- qual o limite?

onde vamos chegar? -

Aqui, no incio da jornada

minha cabeça gira como se já estivesse lá

Estranhos dias, lentos dias

O sol brilha lá fora

e aqui dentro a tempestade

nem pensa em parar.


Lentos dias (19/03/2020)

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Escritos de quarentena #2

Tenho essa sensação com as redes sociais. Parece que se não estou online estou perdendo alguma coisa importante. Existe um sentimento de urgência, como se cada segundo desconectado fosse um escape de

Comments


bottom of page